TÓPICOS

Eles denunciam na ONU violação dos direitos humanos devido ao uso de agrotóxicos na Argentina

Eles denunciam na ONU violação dos direitos humanos devido ao uso de agrotóxicos na Argentina


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Lucía Guadagno

“Estamos alarmados com a situação na região da planície argentina”, disse Rafaele Morgantini, membro da organização Centre Europe Tiers Monde (CETIM). Desde 1981, a ONG tem status consultivo junto à ONU, ou seja, possibilidade de denunciar violações de direitos humanos e apresentar propostas.

“Em áreas agrícolas, os venenos são pulverizados muito perto de escolas, casas e rios, violando as leis sobre as distâncias de aplicação de produtos fitossanitários”, alertou Morgantini nesta terça-feira durante o primeiro dia da 35ª sessão do Conselho de Direitos Humanos do ONU. "Estudos acadêmicos mostram que as doenças crônicas causadas por envenenamento triplicaram, o câncer se tornou uma das causas mais prováveis ​​de morte na região e as doenças mentais relacionadas aumentaram copiosamente."

Solicitação de emergência e investigação

A organização pediu que as áreas fumigadas sejam declaradas “urgentemente” como zonas de emergência sanitária para evitar que as cidades afetadas continuem a respirar venenos contra sua vontade. “Instamos o governo a adotar medidas para acabar com esta situação que ameaça a saúde de seu povo, de acordo com a legislação ambiental geral, a de resíduos perigosos, artigo 41 da Constituição e do Pacto Internacional de Direitos. social e cultural, ratificado pela Argentina ”, disse.

Além disso, pediram que a ONU visitasse a área, por meio de um relator especial para o direito à saúde, “para investigar essas violações de direitos humanos”.

O artigo 41 da Constituição Nacional afirma: “Todos os habitantes têm direito a um meio ambiente saudável e equilibrado, adequado ao desenvolvimento humano e às atividades produtivas que atendam às necessidades presentes sem comprometer as das gerações futuras; e eles têm o dever de preservá-lo ”.

De Lucio V. López

A denúncia chegou à ONU para a mobilização de assembléias de cidades locais fumigadas. Paola Carizza, integrante dos Vizinhos Auto-convocados de Lucio V. López (município de 700 habitantes localizado no departamento de Iriondo, a 44 quilômetros de Rosário e a 132 quilômetros de Santa Fé), disse a Pausa que conseguiram ser ouvidos pela CETIM, com Sede na Suíça, graças a familiares e colegas que vivem em Genebra e outras cidades europeias. “Precisamos que nossa reivindicação seja ouvida. Dada a falta de respostas do Estado argentino, decidimos recorrer a organismos internacionais ”, disse a mulher.

Ao receber a denúncia, a ONG contatou assembléias de aldeias fumigadas, redes de médicos e advogados e produziu um comunicado oficial, cujo trecho foi lido durante a assembleia da ONU.

Pausa


Vídeo: Maratonas na Wikipédia: editando pelos direitos humanos na Argentina (Julho 2022).


Comentários:

  1. Verney

    Para mim é um tema muito interessante. Dê com você que nos comunicaremos em PM.

  2. Abdul-Shakur

    Não quebre seus cérebros sobre isso!

  3. Daniel

    Certamente. Foi e comigo.

  4. Walker

    Você está errado. Escreva-me em PM, fale.



Escreve uma mensagem