TÓPICOS

Minha cidade se chama terra

Minha cidade se chama terra


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Por Esteban Cabal


A floresta em nossa cidade está diminuindo, 2.000 moradores ainda dependem de lenha e carvão para cozinhar e se aquecer, metade das árvores desapareceu no século passado e a terra está se tornando menos fértil. Em média, cada pessoa representa pouco mais de 2 hectares, mas a erosão e a desertificação afetam dois terços do solo disponível.

Minha cidade se chama Terra. Nela vivem 6.000 pessoas, metade na zona urbana e o restante no campo, próximo às praias ou nas montanhas circundantes. Mas o campo está cada vez mais abandonado, a cada ano uma ou duas famílias inteiras vêm morar nas urbanizações da cidade.

Existem muitas raças e culturas diferentes aqui, exatamente como no planeta Terra. Cada um dos meus vizinhos representa um milhão de habitantes do planeta.

Dos 6.000 habitantes que temos, mais da metade, especificamente 3.500 pessoas, são de origem asiática (chineses, indianos, etc.). Depois, há 755 africanos, 570 europeus, 500 latino-americanos, 330 russos, 310 norte-americanos e 35 da Oceania.
Metade dos meus vizinhos fala uma dessas línguas: chinês, inglês, indi, espanhol, russo ou árabe. Chinês é a língua mais comum, falada por 1.000 pessoas. Inglês e Indi são as segundas línguas, existem mais de 500 vizinhos que falam inglês e outros 500 que falam Indi. Depois vem o espanhol, falado por quase 400 pessoas. Russo é falado por 325 vizinhos e árabe por 215. Quanto à outra metade dos meus vizinhos, a maioria fala línguas muito estranhas, entendidas apenas por suas pequenas famílias.

Em relação às nossas crenças religiosas, os mais abundantes são os cristãos, quase 2.000 pessoas entre católicos, protestantes, ortodoxos, etc. Depois, há os muçulmanos, que somam mais de 1.000, os hindus, que são quase 800, e os budistas, cerca de 370. Mais de 500 pessoas professam outras religiões minoritárias, como a judia, que tem apenas 10 adeptos. Ateus e agnósticos, ou seja, aqueles que não acreditam em Deus ou pelo menos não professam nenhuma religião, são cerca de 635.

Na minha cidade existem 2.000 crianças e 360 ​​aposentados. A maioria da população é muito jovem. Cada ano 160 bebês nascem e cerca de 60 vizinhos morrem. Portanto, a cada ano somos mais 100 habitantes. Dizem que em 25 anos seremos 8.500 vizinhos e em 50 anos chegaremos a 10.000.

Não sei como vamos fazer, porque aqui tem muita miséria e muitas doenças. Mais de 800 residentes, especialmente nas áreas rurais, passam fome ou não têm os alimentos necessários para se manterem saudáveis. Paradoxalmente, na cidade temos 1.100 pessoas com sobrepeso, a maioria delas vivendo na zona urbana.

Dos 60 vizinhos que morrem a cada ano, 18 morrem por falta de comida, dos quais 12 são crianças. Outros 2 ou 3 morrem de tuberculose, 2 ou 3 de diarréia, mais 2 de malária e pelo menos 6 morrem de câncer. Existem mais de 30 pessoas com AIDS, embora nem todas tenham desenvolvido a doença. E 6 vizinhos ficaram cegos por causa do tracoma, uma doença ocular contagiosa. Todos os anos, um vizinho morre em um acidente de trânsito, outro tira a própria vida voluntariamente e outro morre uma morte violenta em uma altercação.

Existem apenas 6 médicos na cidade, um para cada 1.000 moradores, e eles não têm como atender, 2.400 moradores vivem com graves deficiências higiênico-sanitárias. Porém, são 60 soldados ou policiais, não sei por que queremos tantos. Aqui estão muitas armas e munições, 500 vizinhos têm algum tipo de arma de fogo em casa. Além disso, temos um grande depósito de armas nucleares que é muito perigoso, pois são tantas que podem destruir todos os seres vivos do município em até três vezes consecutivas. Também são 42 professores ou professores, acho que deveria haver muitos mais. E há 18 vizinhos que são refugiados porque viveram antes de estarem em guerra e tiveram que partir.

Na minha cidade existe muita injustiça e grandes desigualdades entre ricos e pobres. Existem 200 vizinhos muito ricos, que ganham tanto dinheiro quanto os 2.500 vizinhos mais pobres juntos. Metade dos vizinhos da minha cidade são pobres, sobrevivem com menos de 2 euros por dia. São 1.200 vizinhos extremamente pobres, têm apenas 2% da riqueza, gastam menos de um euro por dia e vivem em barracos ou favelas. 80% da riqueza está nas mãos de 20% dos meus vizinhos.


São 600 vizinhos que têm carro. Alguns até têm dois ou três. Mas o resto nem tem carteira de motorista, embora existam também 800 bicicletas. Quase 2.000 adultos, a maioria mulheres, são analfabetos e 125 crianças nunca vão à escola. Apenas 60 pessoas têm acesso ao ensino universitário.
A floresta em nossa cidade está diminuindo, 2.000 moradores ainda dependem de lenha e carvão para cozinhar e se aquecer, metade das árvores desapareceu no século passado e a terra está se tornando menos fértil. Em média, cada pessoa representa pouco mais de 2 hectares, mas a erosão e a desertificação afetam dois terços do solo disponível.
Mais da metade das pessoas que moram nesta cidade têm problemas com o abastecimento de água e energia. Cerca de 2.000 vizinhos não têm eletricidade. A água potável é muito escassa, 1.200 dos meus vizinhos só têm acesso a água contaminada ou não tratada. E a água encanada não chega a todas as casas. São 2.400 moradores que carecem desse serviço e dependem de água subterrânea.

Esta é a minha cidade. Chama-se Terra e você mora lá também
Publicado em Ideal de Almería.

Os artigos assinados são de responsabilidade dos autores. Pode ou não coincidir com os conceitos ou opiniões expressas.


Vídeo: Zé Neto e Cristiano - CHEIRO DE TERRA part. Daniel - EP Acústico De Novo (Julho 2022).


Comentários:

  1. Daishakar

    Lamentamos que eles interfiram ... mas eles estão muito próximos do tema.

  2. Brak

    Certamente. Concordo com tudo o que foi dito acima. Podemos falar sobre este tema. Aqui, ou à tarde.

  3. Simba

    E o que faríamos sem a sua grande frase

  4. Azhar

    Eu também gostei !!!!!!!!!

  5. Shakajin

    Absolutamente concorda com você. Eu acho que essa é a boa ideia.

  6. Achates

    Que pergunta engraçada



Escreve uma mensagem